9 de agosto de 2015

Beda #06 - { Passou no RotaRoots 02 } Sobre o dia que eu comecei de novo do 0 ♥

Aproveitando que estou participando do BEDA, vou colocar em dia os temas da blogagem coletiva dos meses que eu não participei no grupo amorzinho ROTAROOTS do facebook.



Todo mundo nessa vida já passou por momentos em que  teve que recomeçar do zero, eu já recomecei varias vezes, cursos, histórias, o próprio blog,  a introdução desse texto...
Acho que a vida é feita de  grandes recomeços e encerramentos, onde tudo se abre para uma nova fase...

Acho que um grande recomeço na minha vida foi quando eu sai do ensino médio, essa fase posso chamar de céu e inferno facilmente.

Adolescência pode ser  a melhor ou pior fase da vida de alguém...A minha foi uma mistura dos dois e naquela época eu não tinha a cuca de hoje e não enxergava as partes boas de ser eu há uns 10, 13 anos atrás.

Eu passava por tanta coisa com as quais eu não sabia lidar, tantas coisas que me fizeram pensar que por mais que eu tentasse eu não seria boa o suficiente, tantas coisas que pouco ou muito influenciaram na pessoa que eu sou hoje, bem ou mal - fazendo um breve balanço a respeito - eu precisava passar por isso e me fazer uma pessoa melhor,  apesar de tudo.

Meu pai tinha problemas com a bebida, não era alcoólatra, bebia porque gostava, mas ele não era daqueles tipo de pessoa que bebia e fica sossegado  de buenas como diz minha amiga Day, ele trazia o inferno pra dentro de casa,  chegava brigando, agredindo e ofendendo verbalmente minha mãe, lembro como se fosse ontem da primeira situação que eu identifiquei como briga e o quanto  isso me desesperou e me fez pensar  coisas horríveis, me fez  ter  medo do meu pai, eu tinha 5 pra 6 anos, e 21 anos depois essa cena não sai da minha cabeça, depois dessa teve outras dezenas que não cabem nos dedos das minhas duas mãos. Em todas elas eu estava presente, em todas elas eu ficava horrorizada e me sentia super impotente, mas para não ser mas um problema pra minha mãe eu fingia que estava tudo bem, e talvez estava porque apesar de tudo eu tive uma infância maravilhosa, eu era bem pé de barro rsrsrs, brincava que nem moleque, tinha vários amigos que viraram pouquíssimos com o passar do tempo, mas ainda assim amigos, quando cheguei na minha pré-adolescência, a situação ainda era a mesma em relação ao meu pai, nada tinha mudado, eu  estava crescendo e tomando nota da situação em maior grau de entendimento e assim sendo eu fui experimentando em paralelo todas as situações da pré-adolescência e adolescência, primeiro amor, primeiro fora, primeira treta, bulliyng, inseguranças, primeiro namoradinho rsrs,  autoconhecimento, primeiro blog.

Acho que essa parte da vida define muito do que vem depois, nossa personalidade, nosso jeito de lidar com as diversas situações que aparecem em nossas vidas, eu chamo essa fase de vidafobia, eu simplesmente não sabia lidar com as situações, eu não comprava briga com o que eu acreditava, mesmo sabendo que era o certo para aquele momento, eu tinha medo das minhas opiniões, eu guardava todas para mim, sempre achava que qualquer coisas que saísse da minha boca não valia nada...Eu me sentia inútil na vida, eu não tinha expectativa de nada, não tinha ninguém pra dizer que eu valia a pena, porque eu não falava com ninguém sobre como eu me sentia, a minha volta era normal ter  pessoas muito, muito, muiiito próximas me dizendo a todo o tempo o quanto eu não servia pra nada.

Nessa época eu realmente cheguei a acreditar que não servia pra nada, que eu era um saco de batatas que respirava, o que influenciava super diretamente na minha autoestima, fazendo eu me enxergar sempre feia, sempre abaixo das outras meninas da minha idade, sempre  um passo a menos que os demais, me sentia toda errada.

Eu era zoada na escola e não me defendia, quase concordava com o que era dito sobre mim, por fora nem ligava e por dentro me sentia morta, intimidada, injustiçada, porque eu não tinha feito nada para essas pessoas fazer e falar o que faziam e falavam comigo, de mim.

Mas também foi uma das fases que eu me apeguei com Deus, que frequentei diversas igrejas e descobri que eu poderia encontra-lo em cada pedacinho de mim, em cada uma das minhas atitudes se pensadas com amor, independente da construção de concreto erguida em Seu Nome, e parei de ir às igrejas, rsrs, mas não larguei minha fé Nele.

O ensino médio passou, as feridas cicatrizaram, os problemas em casa estavam longe de se resolver, mas eu já tinha uma visão melhor da vida, comecei a fazer um curso de Comunicação Visual que abriu meus horizontes e antecipou meu caminho rumo a faculdade de publicidade e propaganda que eu faço hoje – (em um outro post eu conto como escolhi minha profissão ^_^ ) e acho que foi aqui que eu tive meus diversos recomeços e conclusões:

► Acredito que o tempo é o melhor remédio pra certas coisas sabe!? O tempo passou e as coisas melhoraram bastante, meu pai parou de beber, e a minha vida melhorou em praticamente em todos os aspectos e eu aprendi muitas coisas:

Que a fase do colégio passa;

Você não pode limitar suas possibilidades, mesmo que as pessoas a sua volta digam o contrário;

Tudo na vida tem o seu tempo certo de acontecer, e isso quer dizer que certas coisas podem não acontecer no mesmo ritmo da música, talvez essa música ainda não seja a “sua” música,   rsrs. Confuso, mas faz sentido, vai por mim!

Às vezes nós somos nossos próprios inimigos, saber quando estamos nos sabotando é fundamental, não fazemos isso porque queremos apenas não identificamos;

♣ Quando não temos com quem conversar em determinada situação, converse com Deus a linha dele sempre atende;

Ter medo da vida faz você  perder pequenos grandes momentos, que podem refletir no que você é hoje;

Na nossa adolescência temos a tendência de engrandecer situações que não são tão grandes assim, por justamente não ter a mínima noção das coisas, sério, depois que a gente ‘cresce’ – eu tenho 1,50, não cresci tanto assim – em certos momentos de reflexão a respeito do passado, você vai se sentir, muito, mas muito idiota rsrsrs;

A Vida é uma caixinha cheia de surpresas e de clichês, alguns deles maravilhosos, outros nem tantos, mas todos te proporcionaram grandes aprendizados.

Finalizando, a vida é um presente e devemos desfruta-los como tal, sei que nenhuma história é igual a outras, e que muitas histórias de vida são ruins, sem oportunidades para serem melhores, mas para aquelas que tem oportunidade de mudança:
Don’t Worry, Beee Happy  ♬ ♪ ♫
Beijinhos



8 de agosto de 2015

Beda #05 - { Passou no RotaRoots 01 } - Bandas do Passado que traria de volta para o presente ♥

Aproveitando que estou participando do BEDA, vou colocar em dia os temas da blogagem coletiva dos meses que eu não participei no grupo amorzinho ROTAROOTS do facebook.

Eu não sou a pessoa mais musical do universo, mas tenho minhas bandas/artistas preferidas, sem muita ousadia, confesso. Na verdade eu não me apego a nenhum estilo, se eu gostar da música, independente do estilo eu escuto – exceto funk – né???

Sabe, eu sinto um tiquinho de inveja dessas pessoas que gostam loucamente de alguma banda/artista.

A única vez que fui extremamente fã de um artista, de colecionar coisas a respeito dele, ter uma pasta repleta de recortes de revista foi o Reinaldo Gianechini, na época da estréia ~ e que estréia ~ dele na novela Laços de Família e eu devia ter uns 13,14 anos por aí!
A paixão foi tanta que depois que passou eu dei tudo pra uma das minhas melhores amigas na época, cabô o amô, rsrsrs!


Mas pensando na proposta do post, uma banda que eu iria gostar de ouvir hoje em dia tocando nas rádios, ver meninas se descabelando em porta de hotel, participando de especiais do Fantástico na turnê deles pelo Brasil seria...tchan, tchan, tchan, tchaaan...

Westlife

“Westlife era um grupo pop irlandês formado em 3 de julho de 1998, seus integrantes eram originalmente Shane Filan, Mark Feehily, Kian Egan, Nicky Byrne e Brian McFadden, esse último deixou a banda em 2004.” (Wikipédia).

 Já dá pra saber qual era o meu favorito! 
Na minha adolescência eu não via a hora de assistir aos videoclipes deles quando passava na MTV, mas minha paixão por eles parava por aí, não colecionava nada deles, só gostava de ouvi-los mesmo, e tinha música deles na época que assim como o sabor do Baballoo durava horrores, grudava na minha cabeça e custava a sair. If a let you goooo...

Dá o play:




♥♥♥ Minha favorita ♥♥♥



Lembrar deles me faz pensar em  como naquela época ouvir música e ser adolescente, era muito mais legal, rsrs!

Saudades!





7 de agosto de 2015

Beda #04 ♣ Projeto 52 Semanas ♣ Semana 01 - Coisas que me fazem feliz ♥

Mimimimimi, não conseui participar do BEDA ontem, mimimimi, fiquei sem tempo e sem internet, correria, CORRERIA, COR RE RI A, mimimimimi!!!

Vamos ao que interessa:

Decidi participar do Projeto 52 Semanas, que consiste em uma vez por semana listar 5 ou mais coisas de uma pergunta específica, já cheguei a participar antes mas em uma das minhas crises bloguiferísticas, exclui o blog que continha alguns posts da TAG e os arquivos.doc do projeto, bem naqueles 5 minutos da muléstia, mas enfim...

Coisas que me deixam Feliz:

Sextas-Feiras: Apesar de eu ter aulas nos dois módulos - leia-se das 19:30 ás 23:00 com um intervalo de 20 minutos - eu amo sextas-feiras, porque antecede o sábado que é quando meu "final de semana" começa {jura Palluh? se você não me contasse, nunca teria percebido!} e eu sei que eu vou dormir até mais tarde, que eu vou ter tempo para mim e para a minha preguiça. Dormir é bom demais.



Aprender coisas novas: Eu amo a capacidade humana de evoluir e sempre se aperfeiçoar, e há tanto para aprender... É igual uma frase que uma cliente da empresa que eu trabalho disse um dia – ‘A gente estuda, estuda, estuda, e morre burro', rsrsrsrs! E se formos parar para analisar, é bem por aí mesmo, já tentou comparar o mercado de trabalho de 10 anos atrás com o mercado atual? Antes para você ter um bom emprego, se você tinha conhecimento em informática, uouuuuu, a chance de uma vaga ser sua era muito mais fácil, hoje informática é praticamente obrigatório e dependendo da área, dominar outro idioma é indispensável, tudo a nossa volta evolui e exige que nós acompanhemos o ritmo, se não ficamos para trás. Claro que nem todo aprendizado precisa ter alguma função empregatícia, a maioria das minhas ‘vontades de aprender’ são coisas que talvez eu não use na minha rotina profissional, mas me deixam feliz por alimentar a minha alma. É isso, eu amo aprender coisas novas e isso me deixa muito feliz. (leia a parte em negrito na voz da Pepa no mesmo ritmo de: ‘ eu gosto disso, é muito adulto!’).





Meus animais de estimação: Na minha casa habita eu, meu pai, minha mãe, meus três mosqueteiros felinos (Benjamin, D'artagnan e o Yellow), a minha idosinha princesa felina Mimi e meu adoração pinscher vira-lata indefinido chamado Rato, rsrs, sim, Rato, longa estória que começa com meu pai tomando um susto de noite na praça perto de casa, achando que era um rato passando pelo seu pé, mas não, só era a miniatura de um filhote de cachorro assustado que passou perdido, morrendo de fome, medo e frio pelos seus pés que ficou com dó de deixar ele sozinho na rua e trouxe para casa, e é dessa história que vem o nome do meu cachorro, rsrsr! Eu amo estar com eles, eles são demais, todos com suas particularidades que toda espécie possui e que nos resta respeitar. Eu amo eles, de todo coração. Me alegra vê-los quando chego em casa e eles estão brincando, correndo um atrás do outro, ou simplesmente dormindo, Felicia total! Kkkk! Brincadeira, mas que eu aperto....hehe!




Ter tempo para ler: Eu amo ler, não estou lendo quanto eu gostaria e por isso posso dizer que eu me sinto um pouco infeliz nesse aspecto, mas quando esse tempinho aparece eu fico mega feliz, porque eu posso fugir um pouquinho da minha realidade WorkandStudiaholic,  e simplesmente entrar no mundo do(s) personagem(ns). Quando leio, também fico pensando como existem pessoas que enchem a boca para falar que não gostam de ler! Sabem de nada inocente...



Estar com pessoas com quem posso ser eu mesma: Não que em momentos fora desse aspecto citado eu não seja eu mesma, mas é que – pausa dramática – nesse mundo não dá pra você ser você mesma 24h por dia, a sociedade, o senso comum, a P%$$@ toda da massa, de maneira subliminar e muitas vezes descaradamente mesmo exige de você certos ~ infelizes ~ padrões de comportamento (ex: Nófffa, voxê num axa que já táh  bein gradhinhaaaá, pra goxtar de certas coisas???? | Nóooffa, você num axa que tá muito gourdinha pra usar tal modelo de tal pqp?).

Então,  diante dessas questões e mais outras, que eu encontro nos meus poucos amigos a possibilidade de ser eu mesma sem ter que me justificar do porque eu ser assim ou assado. A questão é muito mais profunda que isso, mas resumindo, é isso.



Obrigada migos, rs!

Espero que tenham gostado!

Beijinhos






5 de agosto de 2015

BEDA #03 - Blogue com o Coração ♥

Dica dessa que vos escreve que ficou sem tempo para participar do BEDA hoje, mas não queria ficar de fora :(

Tudo que é feito com amor, é bem feito ♥!




4 de agosto de 2015

BEDA #02 - O que eu desejo para o Criando Vaidade?

Já que eu decidi voltar a blogar de vez através do BEDA, resolvi estabelecer algumas metas para o meu bloguito e consequentemente para mim, são elas:

Blog com domínio próprio – ter o blog registrado o deixa com a cara mais profissional, mesmo que o meu intuito no momento não seja ganhar $$ com ele.

Migrar para o Wordpress – Gente não tenho nada contra o Blogspot, mas eu acho o Wordpress bem mais confiável e personalizável.  

Layout Personalizado – Não há nada que eu ache mais lindo em blogs – além de seu conteúdo, claro –  que um layout bonito, pensado com carinho para quem está lendo, bem organizadinho e etc.

Completar 100 posts ainda esse anos (2015) – Essa eu quero ver, quando chegar dia 31/12/2015 quero chegar no painel de controle do Blogger ou Wordpress ou criandovaidade.algumacoisa, e ver na lista de postagem mais de 100 posts publicados, seria uma vitória e tanto pra mim e uma alegria imensa ^_^.

Posts com fotos autorais - Não sou a louca apaixondaa por fotografia, mas eu me amarro em blogs que tem fotos autorais, aquelas bem elaboradas, cheio de fofuras e iluminação dignas de pinterest ♥.

Fazer amizade através do blog – eu ia colocar esse item como um top secret, que eu só revelaria quando acontecesse. Deixaria aqui alguma montagem misteriosa, mas não deu rsrsrs!


Na verdade, nem é uma meta, mas é uma das coisas que eu mais sinto falta da época que eu comecei a blogar. Meta nostalgia, rsrsrs! 

Me desejem sorte! 

Beijinhos.

3 de agosto de 2015

BEDA #01 - Por que Criando Vaidade?

Vocês lembram como ocorreu a escolha do nome do seu blog?

Fonte: WallpapersWide

Nesse post eu vim contar como escolhi o “Criando Vaidade”!

Como disse nesse post aqui, já faz algum tempo que eu  tenho contato com a blogsfera, já tive outros blogs antes desse, com outros nomes, em outras fases da minha vida.

O meu primeiro blog levou o nome de Toca da Coruja e era pelo provedor gratuito BigBlogger, depois tive outros no Weblogger do portal terra, Blig do portal Ig, zip.net do portal Uol e blogger br, todos com nomes derivados de coruja – owlgril, coruja convicta, rsrsrs !

Depois, por motivos técnicos eu parei de blogar e quando pude voltar, não tinha mais a mesma garra e disposição de quando eu comecei.

Desde então eu tive mais 3 ou 4 blogs, todos devidamente esquecidos, abandonados e por fim excluídos nos meus diversos momentos de saco cheio. Acontece...

Apesar dessas minhas crises, chegava um momento que eu sentia muita vontade de voltar a blogar, e mais uma vez eu cliquei em “novo blog” do painel de controle do Blogger (Blogspot), prometendo a mim mesmo que não abandonaria nunca mais esse meu espacinho tão legal na internet.

A primeira postagem do criando vaidade ocorreu dia 26/09/2013, texto longo onde eu falo sobre o boom dos blogs - principalmente os de beleza – e da perda da característica de diário que ele tinha no começo.

Depois desse post – TODO MUNDOQUER BLOGAR – veio mais sete com grandes intervalos entre eles, o que eu pretendo eliminar com o BEDA, rsrs! Mas pelo menos dessa vez eu não excluí.

Sobre o nome – oh, finalmente! – durante um bom tempo fiquei pensando em um nome que identificasse a minha atual realidade (que vai aparecer aos poucos por aqui, aguardem), em português, atemporal, que fosse fácil de falar, lembrar, que fosse bonito e cheio de significado, principalmente pra mim.

E foi assim que nasceu o Criando Vaidade!

E você como escolheu o nome do seu blog?

Beijinhos.


2 de agosto de 2015

Welcome to the BEDA | Sejam Bem Vindos ao BEDA ♥

E ae pessoas?  A blogueira fantasma voltou! Rs...

Como sempre um dos meus maiores empecilhos que me mantem longe do criando vaidade é minha vida fora dele L, faculdade, vida familiar, preguiça, falta de tempo e bla, bla, bla.

Na verdade, não posso chamar esses motivos de empecilhos, mas enfim...Vida que segue!

Desde meu ultimo post, muitas coisas legais e não tão legais aconteceram com a minha vida, e muitas delas eu tive vontade de compartilhar com vocês, mas eu sou uma daquelas pessoas que tem que estar em um lugar tranquilo, sem muito barulho e definitivamente essas características minha casa não tem, rs.

Mas deixando a sessão desabafo de lado, hoje eu vim aqui dar ínicio ao BEDA.

BEDA, nada mais é que uma versão do VEDA, só que ao invés de vídeos é com textos todos os dias no seu bloguito ♥


O BEDA (Blog Every Day August), é um projeto que começou ontem dia 01/08 ~ já estou atrasada, rs ~ e foi proposto pelo grupo amorzinho Rotaroots do facebook do qual eu participo apesar de meu blog ter ficado meio as traças esses últimos meses.

E por que em agosto?
Agosto é um mês bem importante na blogosfera, isso porque dia 31/08 é o Blog Day, dia em que a gente espalha amor pela blogsfera e indica os amigos lindos! 

Vai ser um desafio e tanto, mas quer saber? Eu estou super animada com o BEDA e acho que vou dar conta, simples assim, ah, e também porque eu já estou cheia de ideias para os posts que vão ter então força na peruca.

Logo, partindo do pressuposto de que BEDA quer dizer, Blog Every Day August.

VAI TER POST TODO DIA A PARTIR DE HOJE ♥


Beijinhos.



29 de janeiro de 2015

Links que adoçaram meu dia #1

E aê pessoas, como estão?


Imagem via: WallpapersWide

O post de hoje é o primeiro de muitos que eu quero postar aqui ^_^.

É uma lista de 5 links que podem ser de videos, textos, músicas, notícias, enfim, tudo que me adoçar o dia, me feito refletir, que tenha me feito rir, chorar e que tenha vindo da web ;).

Então:



1 -  Você não precisa ser popular pra ser feliz!

Post lindo da sempre linda Bruna Vieira falando sobre popularidade e o quanto isso pode ser negativo na vida de alguém, ela arrasa, apenas.

2 - Por uma vida sem Rótulos

Olha a Bru aqui de novo (toda íntima, rsrsr), um videos sobre rótulos e sobre não ter vergonha de ser você mesma...


3 - Miau...

Que coisa mais linda a história dessa leoa, nem sei como colocar aqui, então, clique aqui  e leia/veja com os próprios olhos:

Aperitivo:


Foto:Daily Mail / Reprodução  Fonte: Terra

4 -  Pra refletir - "Série envia blogueiros de moda para conhecer fábrica têxtil no Camboja - Via.

5 -  Pra refletir ² - Texto mara de uma blogueira super legal e que - pasmem - acabei de conhecer - sobre blogs ostentação e porque esse "nicho" possui tantos seguidores. Clique aqui - e claro que eu conheci esse blog pelo grupo amorzinho RotaRoots. ^_^.

Espero que Gostem!

Um abraço e até o próximo post.

Um abraço.



28 de janeiro de 2015

RotaRoots: Coisas que nunca disse, mas...

Todo mundo em algum momento da vida deixou de dizer algo para alguém, seja para o bem ou para o mal, seja aquele “vai tomar no copo” ou aquele “eu te amo”, ninguém sai ileso de uma palavra não dita.

Se eu pudesse voltar no tempo, em vários momentos em que eu travei a língua,  por medo de gerar confusão ou de me magoar, muitas das minhas inseguranças não existiriam e não ficariam tanto tempo martelando na minha cuca com frases do tipo:

“Por que eu não disse isso!?” -  “Por que eu não fiz aquilo?” Por que, por que, por que???

Ah se arrependimento falasse, ops, matasse! Mas ainda bem que para quase tudo nessa vida há um jeito, as vezes torto, mas ainda assim um jeito, eis me aqui na postagem/blogagem coletiva do grupo amorzinho RotaRoots, para soltar tudo ou quase tudo que eu já quis dizer porém por algum(ns) motivos eu sublimei ¬¬.

Vamos lá:



Oi fulaninha que me enchia o saco na época do colegial, como anda sua vida? Espero que bem, saiba que eu sobrevivi a você, às suas amiguinhas, tão fulaninhas quanto você! Você fazia tanta questão de me maltratar na frente de todos sem eu ter te dado motivo algum além de existir e não rebater suas provocações, apenas ouvi-las quase como se fosse verdade, vou te contar uma coisa, naquela época minha vida fora da escola não era muito boa, não era estruturada e o fato de você me odiar de graça não facilitava meus dias. Eu não fazia parte dos seus círculos de amigos, não era da sua turma, não seguia a mesma moda que você, tão pouco me interessava o que você tinha a dizer,  só sabia que você existia quando você me enchia o saco ou praticava bullying – que  é como chamam seu tipo de atitude hoje em dia – o problema queridinha, é que você nunca se garantia sozinha, sempre chamava as amiguinhas, ‘todas’ cheias de personalidade e pensamentos próprios - só que não - que achavam graça do que você fazia, então, o que eu tenho a dizer com as palavras da pessoa que eu sou hoje é simples:


EU SOBREVIVI A VOCÊ... W A G I A! E A TODO O RESTO TAMBÉM!


E só pra constar, bullying só é engraçado pra quem pratica, e pra quem  nunca sofreu, há brincadeiras e brincadeiras. 

Tentar diminuir alguém por se achar superior a ela(e), não é brincar! Constranger uma pessoa por ela ser quem é, não é brincar! Querer fazer outros rirem a custa do choro de alguém, não é brincar! 

Então, pufavô:


26 de janeiro de 2015

RotaRoots: E se eu fosse uma celebridade?


E aê pessoas, tudo bem?

O post de hoje é parte de um dos temas de janeiro de postagem/blogagem coletiva do grupo amorzinho “RotaRoots”. Clique aqui para conhecer ^_^.

Se você fosse uma celebridade, qual você seria?

Ah Rotaroots, se eu fosse um celebridade eu iria amar ser a Emma Watson ^_^.

Várias questões me fizeram querer ser ela rsrsrs, logo abaixo listei algumas delas:

1 - Ela fica bem com qualquer tipo de cabelo/penteado:


2 - Ela arrasa, apenas:


3 - Ela foi Hermione Granger gente!

Lembro que comecei a ler Harry Potter um tempinho antes dele ser cogitado para ir pro cinema, e ela era/é um dos personagens que eu mais amo e me identifico na saga, só amores por ela, só amores por mim, rsrsrs!





4 - Ela é sexy sem ser vulgar, rsrsrs...

Ela não precisa se esforçar muito para ser linda gente, ela é de uma beleza normal, mas o jeito dela, a forma que ela se porta no mundo faz ela linda de todas as formas, e quem não quer ser linda assim gente?



5 - Ela tem o poder, ela é perigosa.


Ela é a mina gente, além de linda, talentosa, gente como a gente, ela é uma pessoa humana, que faz bom uso da fama para combater questões como injustiça de gêneros.


6 -  Ela sobreviveu à Harry Potter.

Ela nunca será esquecida por seu personagem em Harry Potter, mas vai ser lembrada por outros trabalhos também, e isso é bom, porque poderemos vê-la em muitos outros ótimos trabalhos também. EU OUVI UM AMÈM???





Bom, os motivos para eu querer ser ela eu já dei alguns, agora como eu me sentiria na pele dela?

Antes demais nada, eu não me sentiria diva, rs, sério, eu me sentiria muito agradecida por simplesmente ter o emprego dos sonhos ( partindo do pressuposto que eu sempre quis ser atriz / eu aka Emma Watson), e poder ser o que eu quiser, por não deixar a fama ter subido a cabeça, por ter cursado uma faculdade, por fazer bom uso da minha visibilidade para um bem maior.

Okay, suposições clichês, mas eu pensei nisso na hora de responder a essa pergunta, me julguem!

Porque ela representa quem eu sou?

Ela não representa exatamente quem eu sou, mas possui qualidades que eu admiro muito, ela me parece ser  - apesar de todo o glamour que gira em torno dela - uma pessoa normal, anti-frescura,  e alguém com quem eu adoraria ser amiga de verdade, trocar confidencias do tipo: Pegou o Harry ou não? Rsrsrs, brinks, mas é mais ou menos isso.


Agora voltando à realidade.



Emma estaria desmaiada de tanto rir com esse texto, não por ser engraçado, mas pela minha petulância em querer ser ela, rsrsrs.


OBS¹: Primeiro post com mais de uma imagem, aeeeeeeeeeeeeeeeee!
OBS²: Aprendi usar gifs, só não sei dizer se isso é bom ou ruim, (pois é, eu não sabia como colocar as bagaças dos gifs no post, me julguem²!).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...